© 2016 por NaPraia Brasil.

O que acontece com o seu corpo durante o verão

December 30, 2016

O coração bate mais depressa, o sorriso se alarga e a gente tem sede -- de água e de mar: os primeiros sintomas de verão a gente sente na alma.

 

Para além da poesia, a estação mais quente do ano mexe também com o nosso corpo, por dentro e por fora, porque nem a biologia resiste aos seus apelos “calientes”. Acompanhe a seguir a metamorfose de verão que acontece no seu corpo quando exposto a altas temperaturas.

 

 

 

Pele

 

Para tentar combater o aquecimento interno, a sua máquina corporal “direciona” o sangue para a pele e ativa as glândulas sudoríparas. Quer dizer, para manter os 36,5°C, o corpo aumenta o calibre dos vasos sanguíneos (vasodilatação) para acelerar o processo de esfriamento -- daí o fenômeno das bochechas rosadas no verão.

 

Bem, de forma simplista, podemos dizer que é a transpiração que abaixa a temperatura corporal, como sabiamente explica o pessoal do do100.com.br: “todos os elementos precisam ganhar ou perder energia para mudar seu estado físico. Ganhar energia para mudar do estado líquido para o gasoso e perder energia para mudar do estado líquido para o sólido. É o que acontece com o suor. Ele é uma gotícula de água sobre a pele que precisa evaporar. Para isso, vai ‘roubar energia da superfície da pele, esfriando-a. Quando a pele esfria, os sangue dos vasos sanguíneos que a percorrem também esfria. Bem, este sangue mais frio circula pelo todo o corpo. Assim, todo o organismo esfria.”

 

Cérebro

 

Sabe aquela moleza que gruda na gente quando o dia tá bem quente? Então, lembre-se que, para tentar resfriar seu sistema interno, as veias se dilatam e o sangue passa a correr próximo à superfície da pele. Trocando em miúdos, a mesma quantidade de sangue passa a correr por parte maior do seu corpo. E aí, como estamos eliminando água numa tentativa de refrigeração, o sangue perde volume. O resultado disso é uma queda na pressão e um coraçãozinho sobrecarregado, porque o coitado precisa trabalhar mais para bombear o sangue por uma área maior. Nessa sauna toda, o cérebro passa a receber uma quantidade menor de oxigênio, o que acarreta naquela sensação de tontura ou, em casos extremos, desmaios.

 

Rins

 

Toma lá, dá cá. Enquanto o coração faz hora extra, o rim tem seu descanso, já que uma quantidade menor de sangue passa por ali -- e é por isso que urinamos menos no verão. Mas quando o xixi assume uma coloração amarelada escura, significa que o indivíduo não está repondo corretamente o líquido perdido na transpiração. Logo, é um sinal de desidratação.

 

Intestinos

 

Tá aí outra parte do corpo que, quando exposta a altas temperaturas, passa a receber menos sangue. Essa “pisada no freio” nos pede cautela, porque é necessário ingerir alimentos mais leves e em menores quantidades. Não são raros os casos de diarréia em dias de verão, porque o intestino fica mesmo mais “frouxo”.

 

Músculos

 

Como tudo nessa vida é um efeito dominó, o calor não foge à regra. Aqui vale relembrar que, quando suamos, estamos eliminando água e toxinas, mas minerais importantes também são liberados nessa equação. Quem sente muito tudo isso são os músculos, que dependem do equilíbrio de minerais e eletrólitos. Quando essa balança tá descompensada, sentimos cãibras ou espasmos musculares -- nada legal, né?

 

Mãos e Pés

 

O calorão, com aquela ajudinha básica da gravidade, mexe um bocado com as extremidades do nosso corpo. Lembrando que agora temos mais sangue sendo bombeado perto da pele, certo? E essa quantidade é ainda maior nas mãos e nos pés, só por conta da gravidade mesmo: é mais fácil de chegar e mais difícil de sair. O resultado? Inchaço e suor excessivo nessas regiões. Atividades físicas leves e beber muita água ajudam em casos assim, bem como evitar permanecer longas horas em pé.

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

POSTS RECENTES

October 17, 2017

July 4, 2017

Please reload

PROCURAR POR TAGS
SEGUE LÁ!
  • instagram
  • facebook